Biópsia de próstata: Quando, como e por que é feita

Biópsia de próstata: Quando, como e por que é feita

A biópsia de próstata é uma avaliação a que o médico recorre quando o valor do PSA (Antígeno Prostático Específico, teste que mede a concentração de uma enzima produzida pela glândula no sangue) está alto, ou quando são encontradas alterações no tamanho do órgão durante o toque retal. A ideia é confirmar ou afastar a hipótese de um câncer.

Para realizar o procedimento, o urologista introduz no ânus do paciente uma cânula ligada a um aparelho de ultrassom. Na ponta dessa haste há uma agulha, que perfura o intestino até chegar à próstata, onde recolherá alguns pedaços do tecido deste órgão.

O material é, então, enviado para análise no laboratório. O resultado indicará se há ou não presença de células tumorais.

A intervenção é feita sob anestesia local e sedação. Dores (suportáveis) e algum sangramento na cueca e no sêmen são perfeitamente normais nas primeiras duas semanas após o procedimento.

Deixe uma resposta

Fechar Menu