Doença renal crônica afeta 195 milhões de mulheres em todo o mundo

Doença renal crônica afeta 195 milhões de mulheres em todo o mundo

Você sabia que a doença renal crônica (DRC) afeta mais mulheres (14%) do que homens (12%) no mundo? Segundo dados divulgados pela organização World Kidney Day, a DRC atinge 195 milhões de mulheres em todo o mundo. Celebramos hoje, 8 de março, o Dia Internacional da Mulher e também o Dia Mundial do Rim que, em 2018, traz uma campanha de prevenção com foco no público feminino.

Uma jornada tripla de trabalho acaba limitando o acesso delas aos serviços de saúde. Por isso, apesar do maior risco de desenvolver problemas renais crônicos, as mulheres são também as que menos procuram tratamento. Em geral, elas desmarcam consultas médicas para se dedicar a outros compromissos e nunca encontram tempo para remarcá-las. É comum ainda que se automediquem com analgésicos para as dores e esqueçam de investigar as causas dos sintomas.

Jornada de trabalho das mulheres pode somar 13 horas entre casa e escritório.

*Dado da Unicamp

Obesidade, diabetes, pressão alta e lúpus, doença inflamatória de origem autoimune, aumentam o risco para problemas nos rins. Outra causa comum da doença renal crônica é a infecção de urina. O problema é mais frequente nas mulheres porque a uretra é mais curta e próxima do ânus. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), cerca de 85% das infecções urinárias recorrentes são causadas pela bactéria Escherichia coli, de origem intestinal.

50% das mulheres serão acometidas pela infecção urinária ao menos uma vez na vida.

*Sociedade Brasileira de Urologia

O diagnóstico da DRC é feito por meio dos exames de urina e de sangue, como a análise das taxas de creatinina. O valor normal de creatinina deve estar entre 0,6 e 1,2 mg/dl nas mulheres e 0,7 e 1,3mg/dl nos homens.

O tratamento para a doença renal crônica é feito por meio de dieta e medicamentos. Em casos graves, a doença pode exigir hemodiálise ou até mesmo um transplante dos rins. A detecção precoce de problemas renais é determinante para uma melhor qualidade de vida do paciente.

 

SOBRE A DOENÇA RENAL CRÔNICA

  • O que é?

A doença ou insuficiência renal crônica é a perda progressiva da função dos rins. Quando a capacidade renal cai abaixo de determinado nível, as impurezas não são eliminadas corretamente do organismo e isso pode afetar negativamente outros órgãos.

  • Quais os sintomas?

No início a doença é assintomática. A pessoa pode perder até 90% da função renal sem suspeitar que está doente. Quando a insuficiência renal é mais grave, o indivíduo pode sentir perda de apetite, cansaço, palidez cutânea, inchaço nas pernas, aumento da pressão arterial e alteração dos hábitos urinários (urina com sangue ou espumosa).

  • Quais as causas?

Normalmente, está relacionada à hipertensão arterial, que sobrecarrega os rins e ao diabetes, que pode danificar os vasos sanguíneos da região. Infecções recorrentes com lesões à uretra, bexiga, ureter e rins; doenças congênitas e inflamação dos rins também estão entre as causas. Pessoas com histórico familiar de problemas renais estão mais propensas a desenvolver a doença.

  • Como prevenir?

Mantenha hábitos saudáveis de vida:

– Controle o peso

– Faça exercícios físicos regularmente

– Controle sua pressão arterial

– Não fume

– Beba muita água

– Não tome medicamentos sem orientação médica

Caso faça parte do grupo de risco para a doença (pessoas com diabetes, obesidade, hipertensão ou histórico familiar de insuficiência renal), avalie regularmente a função dos rins.

 

Leia mais:

Deixe uma resposta

Fechar Menu